domingo, 21 de outubro de 2007

Louco por você...

Nos últimos dias, tem sido difícil carregar o peso de tanta aflição em meu peito... Tamanho tormento precisa acabar, e já! Gastei toda minha retórica em profusões de metáforas e diversas outras construções eruditas do vernáculo, mas agora quero simplificar com veemência as coisas: sou louco por você!

Pronto, está dito! Simples como fogo! E não pense que eu perdi o tino por causa de tal atitude libertária! Saiba: não é nada fácil confessar-se dessa forma, mas há situações-limite em que não dá mais para ficar afogado num mar de angústias e temores, preocupando-se exacerbadamente com a possível reação negativa de outrem.

A sua aparição em minha vida me fez adentrar o meu "eu" desconhecido e colocou em xeque muitos de meus valores e princípios até então estabelecidos como via de regra, e que vieram a se tornar totalmente obsoletos com o tempo! Gosto de você mesmo, e não me importa o que pense ou fale!

Sem mais delongas, é melhor que fique tudo às claras mesmo! Assim eu me sinto mais verdadeiro, mais leve! Afinal de contas, apaixonar-se não é crime!

"Toda razão perde o seu fim se um coração for o juiz". (Djavan)

Obs.: queridos leitores, o nome do blog ainda é "Café Cultural", e não "Café Confessional", cabe ressaltar!

7 comentários:

elilson disse...

Nossa ! que introspecto! que forte!
Acho, que todos nós, fiés leitores, nos identificamos com a confissão" expressa.

Valdeline disse...

Isso foi lindo, Freddy!!

É como diria o meu Petit Prince: "o essencial é invisível aos olhos"...

Cátia Veloso disse...

Querido Freddy,
Seja Cultural ou Confessional, é sempre um deleite parar aqui para saborear um Café em sua adorável companhia.
Aqui a gente tem certeza que irá encontrar textos bem escritos e substanciosos, cheios de verdade e sentimento.
Que prazer poder compartilhar de sua vida!
Beijos eternos .

Elis disse...

Apaixonar-se às vezes é crime sim...

Crime contra preceitos estabelecidos em algum tempo no qual julgamos estar tudo correto e em seu devido lugar... ou seja, não nos expormos tanto a situações que poderão nos trazer mais sofrimento do que satisfação...

Sei que estou em momento de incomum desconforto quanto a cousas do tipo, porém posso afirmar que aventurar-se em ser verdadeiro é ótimo, entretanto nem tudo é perfeito... e como poderia ser?

Desculpe-me meu querido Freddy pela falta de entusiasmo... mas tu bem sabes o porquê!
Beijos...

Repetindo...quem quiser visite meu blog também...

http://wwwenquantopenso.blogspot.com/

Freddy Simões disse...

Leitora Elis, neste ponto eu concordo com você: apaixonar-se pode ser mesmo um crime, um atentado contra o amor-próprio. E o pior de tudo é quando você já gastou todo o seu latim e não consegue um resquício sequer de reciprocidade da contraparte, que finge ignorar suas palavras e fica indiferente a tudo que você faz.

No entanto, eu já estou ficando cheio disso tudo! Amargor, rispidez e presunção me cansam! Não dá pra perder tempo com quem complica demais as coisas e reclama da vida, de tudo. EU SOU TODO AMOR e quero, portanto, a afabilidade das pessoas felizes e de bem com a vida; a brandura de um coração aberto ao amor; e o brilho de um sorriso verdadeiro!

Continuarei com minha mente direcionada a algo producente. Se eu posso malhar, dançar, cantar, estudar, trabalhar, atualizar um blog etc., pra quê perder tempo afogando-me num mar de mazelas emocionais? A vida segue!

Freddy Simões disse...

Leitora Elis, neste ponto eu concordo com você: apaixonar-se pode ser mesmo um crime, um atentado contra o amor-próprio. E o pior de tudo é quando você já gastou todo o seu latim e não consegue um resquício sequer de reciprocidade da contraparte, que finge ignorar suas palavras e fica indiferente a tudo que você faz.

No entanto, eu já estou ficando cheio disso tudo! Amargor, rispidez e presunção me cansam! Não dá pra perder tempo com quem complica demais as coisas e reclama da vida, de tudo. EU SOU TODO AMOR e quero, portanto, a afabilidade das pessoas felizes e de bem com a vida; a brandura de um coração aberto ao amor; e o brilho de um sorriso verdadeiro!

Continuarei com minha mente direcionada a algo producente. Se eu posso malhar, dançar, cantar, estudar, trabalhar, atualizar um blog etc., pra quê perder tempo afogando-me num mar de mazelas emocionais? A vida segue!

Elis disse...

Segue Freddy, a vida segue, mas não da forma que poderia, de maneira mais afável e doce...

Dançar e tantas outras atividades são ótimas, mas são completamente irrisórias após momentos profundos de desamparo... mágoa e solidão!

Para essa horas é que temos os amigos e outras pessoas como eu - a terapia, sempre necessária e estimulante, quando tudo o mais que se deseja enquanto ser vivente é apenas dormir, algo um tanto igualável com o não existir!

P.S. nem sempre sou assim chata não... hoje é que estou incrivelmente transtornada...