terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Muitos carnavais...

"Se eu deixar de sofrer, como é que vai ser para me acostumar? Se tudo é carnaval, eu não devo chorar, pois eu preciso me encontrar".
(Batatinha/J.Luna)

Meu corpo já começa a sentir os efeitos do esforço dispendido na folia de Momo que termina hoje, mas mesmo assim encontro motivação para escrever estas palavras regadas a muito álcool e nicotina! Carnaval... festa das múltiplas possibilidades, em que uma força esquisita e libertária faz despertar na gente essa ânsia louca de trilhar os caminhos da lascívia, que têm como destino os mais torpes, incontidos e indizíveis desejos... Nessa época, as pessoas querem se livrar de todas as amarras impostas pela vida prática e real, e mostrar o que elas realmente são: seres humanos, dotados de instintos, necessidades e vontades, nos quais a razão não consegue nem deve impor freios o tempo inteiro. E é assim, desenfreada, a vontade que eu tenho de você. Queria ter coragem de lhe dizer com mais objetividade e sem rodeios tudo o que sinto, mas acho que não é nem necessário fazê-lo, pois, no fundo, você já sabe... mas não quer nem pode entender! Ontem, procurei a sua presença, busquei sua cara entre as caras da multidão, pois queria ao menos por intantes que os seus olhos de mar cruzassem os meus, e assim eu pudesse estampar no rosto o meu sorriso mais bonito, advindo da alegria do reencontro, da alegria de ver a sua figura ali presente! Queria apenas lhe dar um abraço apertado e sincero! No entanto, aos poucos, a minha esperança de encontrar você se esvaeceu tal qual a fumaça do meu cigarro. As batidas do meu peito tornaram-se mais fortes que as dos sambas entoados pela cantora deslumbrante que se apresentava no palco. Então, decidi juntar-me a turma que me acompanhava e seguir rumo ao pólo multicultural no Marco Zero! Sambei a noite inteira para esquecer o quanto me senti sozinho neste carnaval, apesar de tão "disputado" por família e amigos! "(...) Alguém vai sambar comigo, e o nome eu não digo/ Guardo tudo no coração".

Chego à conclusão de que não há Galo da Madrugada, ladeiras de Olinda, frevos, sambas, axés ou mil beijos indiscriminados que possam curar a solidão, porque ela é inerente à condição humana. No fundo, as pessoas brincam mesmo para esconder a dor! Vou findar as palavras por aqui, pois a minha cerveja já está esquentando...


3 comentários:

Ana Luiza disse...

Que forte, Freddy!!! tenho a impressão que quanto mais instável emocionalmente, mais inspirado vc fica! Suas "confissões e devaneios" são deliciosas de ler (pq tem conteúdo), mas parece que vc não tem conseguido atingir o coraçao da pessoa amada (q deve ser no mínimo insensivel). Menino, de quem são esses "olhos de mar" q vc tanto fala? Ah se essas palavras fossem pra mim! Vc merece ser feliz, meu blogueiro querido, pq é talentoso, escreve mt bem e é sensível!

Bjs na alma!

Elis disse...

Olhos de mar...lindas forma e maneira de se referir a alguém que se gosta ou no mínimo se deseja, porém, muitas e não poucas vezes, valorizamos demais certas pessoas que não merecem tamanha "atenção", dispêndio de tempo, disponibilidade nossa e principalmente energia para tentar e tentar... não estou dizendo que seja o caso... entretanto, cousas do tipo acontecem tanto que me deixam sempre de "pé atrás"... é triste e muito solitário mesmo estar à procura de alguém que talvez simplesmente não esteja nos esperando.

P.S. não leve muito em consideração essas minhas opiniões, lembre-se que ainda estou magoada com muitas atitudes alheias, as quais não precisam e nem devem ser repetidas por aí de forma indiscriminada. Casos particulares acabam turvando nossa visão de tudo que acontece em volta...

Bjins... e vê se pega a criatura de jeito rapaz?! e pronto!

Meu blog:
wwwenquantopenso.blogspot.com

Julianne disse...

Não posso te falar muito coisa já te confesei minha situação, porém adoro lê seus sentimentos, adoro o que vc escreve é forte, é vivo...
Infelizmente nem tudo é perfeito e como eu gosto de pensar (apesar de estar pra baixo) QUEM PERDE É ELA PQ VC E O HOMEM!!!

Bju no coração