quarta-feira, 3 de junho de 2009

Rede Globo causa grande mal-estar ao cortar exibição de cantoras no especial em homenagem a Roberto Carlos

O especial Elas cantam Roberto Carlos, exibido pela Rede Globo no último domingo, 31/05, das 23h05 às 00h25, foi extremanente indelicado ao cortar 6 das 20 cantoras que se apresentaram no Theatro Municipal de São Paulo. Ficaram de fora Adriana Calcanhotto, Marina Lima, Paula Toller, Celine Imbert, Rosemary e Mart'nália. Essas apenas apareceram na música final, quando todas as cantoras dividiram a mesma música com Roberto. E o fato de a emissora ter exibido 2 números musicais de Ivete Sangalo só aumentou o mal-estar, pois reforçou a falta de respeito com as outras que tiveram suas performances cortadas. Não se sabe qual foi o critério utilizado pela emissora para tamanha falta de respeito às artistas. Outro ponto a ser questionar é o porquê de exibir os especiais musicais quase de madrugada. Em 2008, a série de programas Som Brasil ia ao ar quase a 1 da manhã. Ibope? Será que um especial em homenagem ao cantor mais popular do Brasil não daria uma boa audiência, exibido na íntegra e num horário mais acessível a todos, principalmente aos que tem o compromisso de acordar cedo para trabalhar no dia seguinte? Ao horário nobre é reservada toda a programação de gosto duvidoso, mas o que realmente interessa aos telespectadores que primam pela qualidade está reservado praticamente à madrugada: os especiais musicais, o Programa do Jô, o Altas Horas, de Serginho Groisman etc.

O fato é que a guerra das emissoras pela audiência nos últimos anos tem tornado a programação da TV aberta cada vez mais inculta e desprovida de refinamento. Se o que interessa hoje em dia é apenas Ibope, é melhor abolir de vez os especiais e deixar o Faustão o dia inteiro ou botar mais novelas além das cinco que já são exibidas diariamente. A impressão que se tem é que a Globo destina apenas as sobras de horário aos especiais musicais. Se música na TV aberta não alavanca mais a audiência, é melhor que fique reservada aos DVDs. O que não se pode permitir sem questionar é esse tipo de indelicadeza que a Globo cometeu com as cantoras ao cortá-las do especial.

3 comentários:

ANNA CÉLIA disse...

Concordo plenamente com a tamanha falta de respeito com essas cantoras tão talentosas so apareçerem em um pequeno trecho no final do especial!
mais isso são coisas da globo meu querido freddy
bjsss....

Marcos Dhotta disse...

Concordo contigo caríssimo Freddy! Apesar da big produção, ficou a desejar...E muito. Além do veto da exibição cantante das outras estrelas, senti falta de outras também: Maria Bethania, Gal, Rita Lee, Simone... Bom, "Inês agora é morta"... E por falar na Inês que já morreu, lembrei que apesar dos pesares, o show já valeu a pena simplesmente pelo mega colar da Hebe... O QUE FOI AQUILO???? A única vez que vi algo do tipo, foi pendurado no pescoço de uma daquelas mumias do Egito que vemos em fotos arqueológicas de tumbas e pirames...Enfim, coisas da Hebe ( até que ela me convenceu cantando...). Abraços, caríssimo.

Elilson disse...

Pois é, tamanha indelicadeza.
Adriana e Marina foram duas, entre as que passavam nas chamadas e abertura do especial, que me fizeram sentar para assistir.
Absurdo! Lembro de ter desligado a TV emburrado e sair comentando no dia seguinte.
Mas, fui dormir maravilhado, relembrando nota por nota a incrível performance da Ana Carolina para "Força Estranha", e rindo um pouco ao relembrar trechos da teatralização de Marília Pêra.